8 dicas de como realizar o envio de arquivos para impressão

Enviar um arquivo em formato Word, ou até mesmo Paint, para a gráfica em que ele irá ser impresso pode tornar o trabalho mais demorado, além de impactar negativamente na qualidade do resultado final do produto.

Certos cuidados na hora do envio da arte podem reduzir o tempo para a entrega, além de garantir que o trabalho apresente as características esperadas pelo consumidor, como, por exemplo, espaçamentos e cores fieis ao que foi planejado.

Montamos uma lista com 8 dicas que devem ser analisadas durante a elaboração da arte final para que ela alcance a expectativa do cliente:

1 – Marcas de registro: Se houver corte especial ou verniz, é importante que marcas de registro estejam presentes no projeto, especialmente para que eles não fiquem desalinhados. Se a gráfica tiver produtos padronizados ao invés de marcas, é necessário que sejam obedecidos os limites de tamanho da arte para que a produção se encarregue do encaixe junto aos demais clientes.

2 – Medidas: Em impressos, é importante utilizar a medida em centímetros (cm). Uma arte em pixels, por exemplo, não servirá para impressão.

3- Processos de Impressão: Devido à variedade dos processos de produção, é muito importante saber qual será o mais indicado para finalização da sua arte. Entre os mais utilizados estão as opções offset, flexografia, serigrafia.

4 – Tipo de papéis: Saber exatamente qual o tipo de papel indicado para cada material a ser impresso contribui para a sua qualidade, como também para a sua durabilidade. Veja aqui uma postagem nossa com dicas sobre esse processo.

5 – Padrão de cores: Um dos principais pontos que devem ser verificados antes de enviar um arquivo para a impressão consiste no padrão de cores a serem utilizadas. Como a tela do computador exibe apenas o padrão RGB (Red, Green e Blue) e o padrão de impressão consiste no CMYK (Cyan, Magenta, Yellow e Black), é necessário que a cor desejada seja definida através de uma escala cromática, como a Pantone. Veja como ela funciona: http://composergrafica.com/blog/pantone/

6 – Evite estruturas complexas: Sombras, blends e degradês dentro do programa de finalização do arquivo podem elevar o tamanho do material, o tempo de renderização e, consequentemente, o tempo de impressão. Prefira aplicar efeitos gráficos no próprio software de edição de imagem, aplicando a imagem no arquivo final em formato bitmap.

7 – Fios hairline: Não utilize fios com essa espessura, pois levando em consideração o tipo de impressão, ela pode acabar ficando invisível. Faça o uso de medidas que apresentem, no mínimo, 0,425pts ou 0,15mm.

8 – Organize os arquivos: Durante o processo de criação é necessário que os arquivos utilizados sejam reunidos, tais como imagens, fontes e textos. O ideal é que fiquem em uma mesma pasta, junto com a arte final. Eles deverão ser enviados para a gráfica, em companhia do arquivo que será impresso.

Além dessas sugestões, é recomendável que os arquivos sejam enviados para impressão fechados, sendo o necessário converter em OS (Postscript) e depois em PDF/X1a, garantindo sua qualidade e conteúdo. Nesse conteúdo será encontrado todas as imagens, ilustrações vetoriais e fontes, como também estará estipulado o tamanho da página, marcação de corte e área de sangria.

Caso seja necessário o envio do arquivo aberto, é necessário gerar um pacote de impressão contendo as páginas diagramadas, as imagens, ilustrações e fontes utilizadas. O arquivo deverá ser salvo em FTP.

 

Comments are closed.