O que é gramatura de papel?

gramatura papel

Geralmente no momento de fechar um pedido para imprimir panfletos, cartazes ou outras peças, um termo muito comum e bastante usado em gráficas das mais diferentes é ‘gramatura’. Se você tem dúvidas sobre o significado dessa expressão, continue conosco.

O termo ‘gramatura’ se relaciona com a área e o peso do papel e é especificada em gramas por metro quadrado. De uma maneira bem simples, quanto maior for a gramatura de um papel, mais grosso, resistente e qualidade ele terá.

Cada tipo de impressão pede uma gramatura de papel diferente, daí a importância de identificar qual se adequa melhor ao que será produzido. Por exemplo, se a sua ideia é fazer um panfleto frente e verso, precisará de uma gramatura mais alta para que a tinta não passe para o outro lado e impeça seus clientes de lerem o que está escrito.

  • Para folhas de jornal, recibos e máquinas de bobina, geralmente é usada a gramatura de 35g/m² até 60g/m².
  • Folhas de papel timbrado, bloco de notas e miolos de cadernos é usada a gramatura de 70g/m² até 80g/m².
  • Ao se idealizar um panfleto de alta distribuição e baixo custo usa-se a gramatura de 90g/m² até 110g/m².
  • Para folders, panfletos e cartazes mais elaborados usa-se a gramatura de 120g/m² até 180g/m².
  • Cartões de visita, convites, cartazes, capas de livros e revistas em geral são feitos com gramatura 210g/m² a 300g/m².

A gramatura do papel influencia no valor final da produção gráfica. Por isso, quando o pedido é fechado com gramatura alta, geralmente o preço fica mais caro.

Papel couché: a versatilidade que seu projeto gráfico precisa

papel couche

Ao fazer uma peça gráfica, diferentes podem ser as suas intenções e objetivos com o projeto. Você pode querer fazer um cartaz para divulgar um evento, um panfleto com a promoção de uma loja, uma revista com temas diversos ou até mesmo um livro. Para todos eles, um tipo de papel é o mais indicado para usar: o couché.

O papel couché é um dos tipos mais versáteis a se utilizar. Isso porque variando a sua gramatura é possível obter diferentes acabamentos e ‘caras’ diferentes para o seu projeto. Por exemplo, para fazer algo corriqueiro e de distribuição em massa, geralmente utiliza-se um couché com gramatura mais baixa, no entanto, para fazer um folder para empresas com produtos diferenciados é usado o couché de gramatura alta.

Algo de extrema importância ao se imprimir uma peça gráfica é a qualidade das cores e a sua visibilidade. O papel couché é famoso por sua boa aceitação a diferentes tons de cores que ficam muito fiéis ao projeto inicial ao serem impressos.

Outro grande benefício do couché em diversos tipos de peças gráficas é a sua variedade de acabamentos. O papel pode ser usado tanto em sua versão fosca quanto com brilho, de acordo com o direcionamento do projeto e o gosto do cliente. Tudo isso faz muita diferença na finalização do projeto.

O papel couché é a opção mais indicada para impressão de panfletos, folders, cartazes, convites, cartões de visita, capas de revistas e até livros.

 

As diferenças entre folders, folhetos e panfletos

As diferenças entre folders, folhetos e panfletos

Entre tantos tipos de materiais impressos existentes podemos acabar nos confundindo com os nomes dos existentes. Afinal, qual a diferença entre folder, folheto e panfleto? Ou eles são iguais? Saiba tudo nesse post.

Panfletos e folders são ferramentas de divulgação muito comuns de serem usados em empresas das mais diferentes, no entanto, por mais parecidos que sejam possuem algumas particularidades:

O panfleto é uma peça feita em uma folha e pode ter informações na frente e no verso ou em apenas uma de suas faces. Não existe diferença entre folheto e panfleto. Pode ser feito de maneira simples e tem informações mais básicas, geralmente promocionais.

Já o folder é conhecido por ser uma peça gráfica mais completa, feita com dobras de papel, como na imagem acima. Geralmente utiliza-se um papel de gramatura mais alta no folder e como tem várias faces é possível colocar nele mais informações. Seu próprio nome vem da palavra inglesa ‘fold’ que significa dobra. É bastante usado como ferramenta de propaganda institucional.

Então, não precisa ter mais dúvidas: se tiver dobras é um folder, se não tiver é um panfleto ou folheto.

Panfletos ainda valem a pena?

panlfetos

Com o avanço das mídias sociais, a propaganda online passou a ser mais utilizada pelas empresas como uma alternativa eficiente de alcançar o público com menor custo. Com tantos avanços e mudanças nas maneiras de se anunciar, começaram a surgir dúvidas se as maneiras mais tradicionais de publicidade ainda valem a pena.

Quando falamos de uma distribuição de panfletos que é um material impresso geralmente com informações institucionais ou promocionais, o seu poder de alcance ainda é bastante eficiente, principalmente quando é feito com qualidade.

O importante a se fazer para ter sucesso na distribuição dos panfletos e conseguir mais contatos é, primeiramente, definir qual será o objetivo dele: conseguir novos clientes, anunciar uma nova coleção de produtos, aumentar as vendas em determinado período e por aí vai.

Esclarecida essa parte é hora de fazer um bom texto, sem erros de português e com uma chamada interessante. Como geralmente o panfleto tem pouco espaço, menos é mais: seja objetivo no que quer escrever não deixando de lado as informações de contato da empresa. A arte também deve estar coerente com as cores da empresa e trazendo harmonia no conjunto.

O tipo de papel e a gramatura que você escolher também fazem a diferença. Se sua ideia é anunciar um produto mais caro, papeis de melhor qualidade são mais indicados para dar uma boa impressão junto aos clientes.

Após todos esses passos, determine em que locais será distribuído esse material e a quantidade necessária para impressão. Definir isso com antecedência é mais em conta do que ir pedindo pequenas quantidades de impressão aos poucos.

 

3 itens de papelaria que não podem faltar na sua empresa

3 itens de papelaria

No dia a dia de uma empresa, o uso de alguns itens personalizados pode ser uma alternativa interessante para o marketing dela, assim como de sua própria organização. A papelaria está muito próxima tanto a rotina de trabalho dos funcionários, quanto da vida dos clientes, já que pode ser distribuída a eles caso entrem em contato com ela.

Se sua empresa procura fazer alguns itens personalizados, os mais essenciais são:

Papel timbrado que está presente em cartas, comunicados, correspondências e demais documentações. É essencial porque mostra que o local é organizado e traz muito mais impacto à mensagem que quer passar. Como contém o endereço, nome e telefone da empresa, também fica mais fácil para o cliente fazer contato com ela novamente caso sinta necessidade.

Pastas e envelopes são responsáveis também pelo impacto na apresentação aos clientes. Seja na entrega de algum documento ou orçamento, quando é enviado em uma pasta ou envelope personalizado, a impressão é muito melhor. Outro ponto positivo é a reutilização dele pelos clientes, fazendo marketing para a empresa de maneira natural.

Folder É interessante que dentro da própria empresa existam folders com imagens, serviços e contatos importantes. Ele funcionará como o cartão de visitas da própria empresa.

Você sabia que pode fazer toda a criação, confecção e impressão de itens de papelaria para sua empresa aqui na Composer? Tudo isso com ótimos preços e padrão de qualidade. Entre em contato com nossa equipe para mais informações.

Dicas para fazer um ótimo cartão de visitas

cartão de visita

O cartão de visitas é, muitas vezes, o porta-voz de um profissional. Responsável por causar nos clientes uma boa ou má impressão, dependendo do seu material, design e qualidade, é de extrema importância que ele seja bem feito e tenha em si mesmo, todas as informações necessárias para um contato imediato.

A primeira dica para ter um ótimo cartão de visitas é ser claro nas informações que deseja passar. Coloque no cartão suas informações essenciais: seu nome, função, nome da empresa ou logotipo, endereço, telefone e e-mail para contato. Consulte um profissional para que essas informações sejam descritas de maneira organizada e não jogada, de maneira elegante.

Quer usar a criatividade para atrair a atenção do público? Indo em uma gráfica, existe uma série de acabamentos especiais, entre verniz fosco ou brilho, facas com cortes diferenciados, entre outros. Uma estratégia pouco usada e que faz a diferença é dispor a logo na frente do cartão e as demais informações na parte de trás. Ao contrário do que muitos pensam usar as duas faces do cartão não encarece tanto o produto final.

Cores diferentes e texturas também podem ser usadas com criatividade. O mais importante é que elas tenham a ver com o serviço oferecido e estejam todas alinhadas e organizadas perfeitamente.

Antes de imprimir, sempre confira as informações e cheque se elas estão escritas com a ortografia correta.

Faça seu cartão de visitas com a Composer! Entre em contato com nossa equipe para mais informações.

O melhor tipo de papel para embalagens

melhor papel para embalagens

Na hora de fazer embalagens é importante escolher bem a maneira como ela será feita e o papel que fará parte da sua composição. O manuseio constante por vários tipos de pessoa, o trajeto até chegar aos clientes e a apresentação, são alguns dos aspectos indispensáveis na concepção de uma boa embalagem de produto.

O papel do tipo duplex é bastante indicado quando a intenção do cliente é fazer uma embalagem. Como ele é revestido por uma camada dupla com espessura de geralmente 300g, se torna resistente e de fácil manuseio.

A primeira camada do papel é não branqueada, enquanto a segunda é branca e lisa, permitindo uma boa recepção para a impressão da logomarca, informações e ilustrações que aparecerão.

Além de ser uma ótima base para impressão, ter aspecto bonito e facilitar no manuseio, esse tipo de papel protege bem o produto e é uma opção mais barata a se investir. Se sua intenção é começar a fazer embalagens, utilizar o papel duplex é uma ótima pedida.

Outra curiosidade sobre esse tipo de papel, é que ele pode ser utilizado em calendários e capas de bloquinhos também.

Faça seu projeto gráfico na Composer! É só clicar na aba de contato em nosso site e nossa equipe terá o maior prazer em atender você.

Papel reciclato – Melhores indicações

papel reciclato

Ao realizar um projeto gráfico, existem vários tipos de recursos à nossa disposição. Entre diferentes tipos de impressão, cores, cortes e papéis, a combinação dessas bases faz com que o resultado de uma peça nunca seja exatamente igual ao outro, garantindo personalização e um aspecto único ao que está sendo feito.

Dentre os variados tipos de papéis disponíveis no mercado, o papel reciclato é bastante visto em campanhas gráficas com enfoque em causas ambientais. Ele é feito a partir de restos vindos de dois lugares: o primeiro são as aparas que sobram no corte de papel em empresas e indústrias e o segundo da coleta seletiva que é feita nas ruas e bairros. A junção da matéria prima vinda desses dois pontos traz ao público um produto novo com textura e coloração única.

Se a sua ideia é a utilização do papel reciclato em alguma peça, saiba que ele é bastante indicado em folhas de cadernos e livros, também podendo ser utilizados em convites e cartazes. Como esse tipo de base é conhecida pelo aspecto único, é muito indicado para ações ambientais, enfocando a natureza e preservação do meio ambiente.

Caso você tenha a intenção de utilizar o reciclato para causas vegetarianas, veganas, convite de festas com temas similares, essa é uma base de papel extremamente indicada.

Faça seus projetos gráficos com a Composer! Entre em contato com nossa equipe através da aba de contato, teremos prazer em respondê-lo.

Escolhendo a fonte adequada para seu projeto gráfico

Ao criar uma peça gráfica, muitos elementos são essenciais em sua composição. Por isso, as cores, formas utilizadas e organização correta das informações precisam estar muito bem alinhadas para que o conjunto faça sentido.

Parte importante no processo de desenvolvimento de algo assim é a escolha das fontes do texto e com tantas opções disponíveis pode até ficar difícil de escolher. No entanto, existe uma premissa básica que pode guiar você na escolha da que é mais adequada.

Todas as fontes que você conhece, por mais diferentes que sejam uma das outras, são divididas em dois grupos: com serifa ou sem serifa.

composer---serifa

Fontes serifadas – São aquelas que possuem pequenos arremates nas pontas das letras. Por causa do seu estilo, são muito indicadas para textos longos. Como possuem alguns detalhes na finalização das letras, o olho humano entende como um bloco único, fazendo com que elas pareçam muito mais legíveis e fáceis de ler. Também podem dar um toque clássico para o visual de um projeto gráfico. Exemplo de fonte com serifa: Times new Roman.

composer---sem-serifa

Fontes sem serifa – Aqui as letras têm uma estética mais fluida e uniforme, sem maiores detalhes. É excelente para chamar atenção em títulos e chamadas, sendo bastante utilizada no nome de marcas famosas também. Exemplo de fonte sem serifa: Helvética.

Existem muitas fontes diferentes para você escolher, siga nossas dicas e opte pela que mais lhe agrada. E lembre-se: ao fazer seu projeto gráfico, a Composer está com você!

Dicas para saber antes de enviar o arquivo para gráfica

dicas enviar gráfica

Alguns cuidados com o arquivo que será enviado a gráfica para impressão pode evitar vários problemas e dores de cabeça que por ventura surgem ao imprimir documentos. Para conseguir uma boa impressão, sem problemas, confira algumas informações importantes que podem salvar sua impressão de desastres e deixa-la idêntica ao projetado na tela do computador.

Primeiramente saiba que para impressão são utilizadas as dimensões em medidas de centímetros, e não pixels.

Um ponto importante é a escolha do método de impressão adequado para o tipo de documento que você irá imprimir. Para escolher um dos muitos processos de impressão, converse com um funcionário especializado na gráfica, ele saberá recomendar o método mais apropriado.

Outra escolha que terá que fazer antes da impressão é o tipo de material em que você irá imprimir. Entre os tipos de papel pesquise as espessuras, texturas e tamanhos, e se for utilizar outros materiais como plásticos, tecidos, ou outras superfícies diversas, pesquise antes a impressão compatível com o material usado.

Uma informação mais específica diz respeito ao padrão de cores utilizada. A impressão utiliza o CMYK, diferente da tela do computador que é RGB, portanto para imprimir na cor desejada use uma escala cromática como a da Pantone por exemplo, considerado um padrão de cores universal para impressão.

Essas poucas dicas irão fazer a diferença entre uma impressão defeituosa e uma boa impressão, podendo inclusive poupá-lo tempo e custos extras. Pesquise esses pontos bem e se certifique de estar levando arquivo e material adequados para a gráfica.